expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
Contato: piedadenoticias@hotmail.com

AQUI EU MORO, AQUI EU COMPRO. SÃO 7 MOTOS!

AQUI EU MORO, AQUI EU COMPRO. SÃO 7 MOTOS!
Prestigiar o comércio local é valorizar a si mesmo

Santa Rosa

Casa de Rações NASKASA

Casa de Rações  NASKASA

ALPHA TRANSITO - Recursos de Multas

Nossa Ótica

Nossa Ótica
Qualidade sempre!

Clinica Stima

Clinica Stima

Lifan X60

Lifan X60
CLIQUE NA IMAGEM PARA ACESSAR

sábado, 8 de julho de 2017

Falso sequestro e linha Vivo sorteada - Marginais cariocas aplicam estelionatos em mulheres piedadenses

Dois casos de estelionato aplicados pelo telefone, de falso sequestro e da linha Vivo premiada, vitimaram duas mulheres nesta sexta-feira (7), em Piedade. Segundo a Polícia Civil, ambos os crimes partiram de cidades do estado do Rio de Janeiro.


Linha premiada - O primeiro golpe teve início por volta das 11 horas da manhã. A vítima, uma mulher de 57 anos que reside num bairro rural do município, recebeu uma ligação em seu celular, na qual um homem identificando-se como funcionário da empresa Vivo disse que ele havia sido sorteado e que ganharia R$ 25 mil e mais um Smart Phone. 

Mesmo desconfiada, ludibriada com a história contada pelo seu interlocutor, a dona-de-casa seguiu até à agência bancária no centro da cidade e acabou realizando os procedimentos de "pesquisa" sugeridos pelo falso representante da Vivo em nova chamada telefônica. Inadvertidamente a vítima veio a efetuar dois depósitos em contas distintas da Caixa Econômica Federal, no município de Mesquita, região metropolitana do estado do Rio Janeiro.

Falso sequestro

No outro caso de estelionato ocorrido no mesmo dia, por volta às 11h42min uma senhora de 76 anos de idade, que também reside na zona rural de Piedade, recebeu uma ligação em seu celular, cuja chamada partiu de um número não identificado, na qual um homem dizia ter raptado a filha dela. 

Ao que parece, no desespero gerado pela informação recebida, a mulher - que estava sozinha em sua casa - teria pronunciado o nome da filha. Do outro lado da uma voz, esta de uma mulher que gritava ao fundo, pedia socorro para a mãe porque senão ela seria morta. No total foram 14 ligações consecutivas, que perduraram por quase três horas. 

Neste meio tempo, apavorada sem conseguir raciocinar devido à pressão psicológica que sofria, a idosa seguiu até o centro da cidade e efetuou uma transferência de R$ 1 mil na conta determinada pelo criminoso. Após isto, ao perceber o estado de enorme pânico que a idosa se encontrava, uma funcionária de um comércio a interpelou, perguntou-lhe o que estava acontecendo. 

Ao tomar conhecimento da história, a comerciária ligou para a filha da vítima, que estava trabalhando normalmente e foi surpreendida pelo ocorrido. Depois que conversou com a filha, soube que ela estava bem, a idosa pode sair do estado de choque que se encontrava. O filho dela que estava no trabalho foi acionado, veio ao encontro da mãe e posteriormente seguiram para a Delegacia de Polícia registrar o ocorrido. Pesquisas feitas pela Polícia Civil indicam que as ligações também partiram de uma cidade da Grande Rio de Janeiro, neste caso de São Gonçalo. Os delitos seguem sob investigação. Em ambos os casos as autoridades policiais orientam ás vítimas procurarem outras pessoas para lhes contar o que etá acontecendo, pois, na quase totalidade das situações os sequestros são falsos e nos casos de prêmios oferecidos por telefone não faz nenhum sentido ter que depositar dinheiro para receber uma quantia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário